MINHA  VIDA  E  DE  MEUS  AMIGOS  SOBRE  DUAS  RODAS

Contatos: Cassola - (51) 99983-1064     accassola@terra.com.br

Banner
Banner
Banner
Banner

Calendário de Eventos

No Mês passado Novembro 2017 No Mês próximo
D 2a 3a 4a 5a 6a S
week 44 1 2 3 4
week 45 5 6 7 8 9 10 11
week 46 12 13 14 15 16 17 18
week 47 19 20 21 22 23 24 25
week 48 26 27 28 29 30

Últimas Notícias

Alcance da visão.
Ter, 14 de Julho de 2009 15:44
Imprimir E-mail
Dicas

Alcance da visão.
O erro mais comum que leva o motociclista inexperiente ao chão é o de não treinar boashabilidades visuais. Esta é provavelmente a maior causa dos acidentes para motociclistas novatos, contudo, é também a habilidade mais básica e fundamental para um bom planejamento das suas ações ao pilotar
uma moto. Se você não estiver olhando onde você quer ir, como você espera chegar lá? Nós vemos vários pilotos cometendo sempre os mesmos erros que envolvem as habilidades visuais: “guiando a roda dianteira” (não olham pra frente e distante), e a “fixação do alvo”. Estes dois erros estão intimamente
ligados; quando o piloto não olha distante o suficiente e é surpreendido por um obstáculo, apavora-se, que leva à fixação do alvo.


Nós não podemos enfatizar o quão importante é olhar distante enquanto se pilota. Isto aplica-se não somente a pilotar em estradas sinuosas ou pistas de corridas, mas também para andar nas cidades ecentros urbanos. Fazer essa varredura à frente permite-lhe tempo de folga para formular um plano de traçado por onde deseja passar naquele trecho em específico, não importa se você está fazendo uma curvaperfeita, ou preparando-se para evitar uma situação perigosa no trânsito. Isto é especialmente vital para os motociclistas novatos, que geralmente requerem muito mais concentração e planejamento das técnicas de pilotagem do que o pilotos experientes que podem executar seus planos mentais com quase nenhum esforço. Se sua tocada é apressada, as possibilidades de cometer erros são maiores. Nós vemos também que, olhar muito adiante ajuda aos motociclistas novatos a superar seu medo de inclinar a moto nas curvas.

Olhar distante ajuda também a sua habilidade de utilizar a sua visão periférica para identificar os sinais visuais perigosos ou se seu ponto de referência é alterado. Você não tem que olhar fixamente em algo para “vê-lo”; melhorar esta habilidade visual permitirá que você chegue, por exemplo, na tangente de um curva enquanto está focando os olhos na curva seguinte. Nós vemos muitos motociclistas novatos que se concentram tanto em chegar à um destino imediato que acabam se prendendo a um ponto muito próximo; dessa forma, já era.....por que , se você ainda estiver olhando fixamente para um ponto destino à 10 metros de alcançá-lo, até você começar a procurar seu próximo ponto destino, você já estará em cima dele, e seu plano de percurso começará a ficar confuso e atropelado. Aprenda a chegar a um ponto destino sem realmente olhá-lo.

Um plano mental de traçado montado com pressa pode resultar em um problema comum para qualquer tipo de piloto ou motociclista: fixação do alvo. Quando os motociclistas entram em “modo pânico”, acabam olhando fixamente para o objeto ou área ameaçadora adiante. Geralmente é um carro que entra no seu trajeto fora de hora, ou a parte de fora de uma curva quando você entra com um pouco mais de velocidade. Freqüentemente se usa a frase “que você vai aonde você olha” e é verdadeiro mais do que nunca, nesta situação. Nós podemos garantir que se você continuar a olhar fixamente em algo você está tentando evitar, você vai chegar nele. Embora seja mais fácil falar do que fazer, é por isso que você precisa construir suas técnicas de exploração visual de modo que você olhe instintivamente além do perigo que esteja se aproximando. Se um carro entrar no seu caminho, procure imediatamente uma rota de escape enquanto freia a moto; se você exceder sua velocidade do conforto para entrar em uma curva, olhe onde você quer ir. Olhar fixamente para um perigo não lhe ajudará a evitá-lo. Olhe apenas onde você quer ir, e você chegará lá.

Este artigo foi publicado originalmente no exemplar de Abril de 2003 da revista Sport Rid
er.