MINHA  VIDA  E  DE  MEUS  AMIGOS  SOBRE  DUAS  RODAS

Contatos: Cassola - (51) 99983-1064     accassola@terra.com.br

Banner
Banner
Banner
Banner

Calendário de Eventos

No Mês passado Novembro 2017 No Mês próximo
D 2a 3a 4a 5a 6a S
week 44 1 2 3 4
week 45 5 6 7 8 9 10 11
week 46 12 13 14 15 16 17 18
week 47 19 20 21 22 23 24 25
week 48 26 27 28 29 30

Últimas Notícias

Vai com calma!
Qui, 23 de Julho de 2009 16:02
Imprimir E-mail
Dicas

As estradas não são pistas de corrida--são lugares de diversão.


By Nick Ienatsch , Jon Berndt

Há duas semanas atrás um motociclista morreu quando caiu em um penhasco paralelo à uma de nossas estradas favoritas. Sem cascalho no asfalto, sem carro pressionando-o , nem gelo. O cara não teve sorte? Erro do motociclista. Entusiasmo demais com pouca habilidade. E esta fatalidade não foi a primeira na mesma estrada este ano. Como na maioria dos acidentes com apenas o piloto na moto, o motociclista entrou na curva com uma velocidade em que sua cabeça dizia que estava rápido demais, no meio desistiu , botou a moto na vertical e colou o freio. Adeus.

Em uma pista de corrida este mesmo motociclista apenas cairia na proteção de feno, uma ambulância chegaria para fazer um curativo e o levaria de volta para os boxes para desentortar os semiguidões da moto enquanto ele pensaria melhor sobre seu erro. Mas vamos deixar uma coisa clara : as ruas não são pistas de corrida. Usando as ruas para tal finalidade encurtam as suas carreiras de motociclista e mantém distante da diversão. Mais diversão e menos corridas nas ruas!

 

Usando toda a pista disponível
quando entrar na curva
(linha pontilhada) há mais
benefícios. Permite que você
freie enquanto estiver na vertical,
consegue ver mais distante na curva
e usar uma tangente mais curta. Com
uma tangente mais aberta, você
pode começar a acelerar e a moto
e pode acabar saindo da curva. A linha
baixa de entrada (linha tracejada)
força-o a inclinar excessivamente
mesmo após ao pico da tangente
e é o principal fator que contribui
para atravessar uma curva.
Dê sempre uma distância da faixa
central: fique na sua pista exceto em
ultrapassagens.

Os treinos dizem à motocicleta o que ela deve fazer tornando-a um "veículo controlado",não "controlando o veículo". Muitos motociclistas amadores transformam-se em bagagem na moto quando colam o acelerador - a velocidade ofusca o que o motociclista pode enfrentar. Um bom treino não leva em consideração a velocidade e pode ser tão divertido tanto quanto em uma Ninja 250 quanto em uma ZX-11, e prioriza apenas a habilidade da tocada. Um idiota pode acelerar horrores, mas não tem nenhuma idéia como parar ou curvar. Aprender a parar salvará sua vida; aprender curvar irá enriquecê-la. E o que é melhor do que deitar uma moto numa curva ?

A mecânica de curvar uma motocicleta envolve empurrar e/ou puxar os semi-guidões; isso não é novidade para alguns pilotos, entenda que esta força nos semi-guidões afeta
na inclinação em que a moto entra na curva. Empurre com força os semi-guidões, e a moto deita abruptamente; empurre delicadamente e a moto deita suavemente. Cada curva requer técnica diferente, mas enquanto você começa a pensar a respeito, se acostume com "entradas atrasadas = curva aberta". Deitar a moto no momento exato e alcançando o ângulo correto requererão atititudes firmes nos semi-guidões. Se você deitar a moto mais rápido, automaticamente, você pode usar esse tempo economizado para frear melhor ou tangenciar melhor a curva, ganhando tempo para avaliar a curva e as surpresas que ela possa te oferecer. É importante olhar o mais distante possível em uma curva e elembrar o ditado, “você vai onde você olha.”


NÃO SE APRESSE
A habilidade número um após ter dominado uma frenagem de emergência, é achar sua velocidade certa da entrada da curva, ou como Kenny Roberts diz, “entrada lenta, saída rápida.” Os motociclistas de rua podem fazer fazer 99 de 100 curvas no limite, na última curva com certeza terá um cascalho, uma lama ou um carro cruzando a pista. Acertar velocidade da entrada o mais cedo possível permitirá que você ache a tangência da curva, dando-lhe a oportunidade de se previnir


Nós todos já entramos em uma curva rápido demais e experimentamos não apenas o desespero mas também a falta do controle ao tentar manter a moto dentro da curva. Se você estiver brigando com os freios para curvar sua moto, qualquer surpresa será impossível de ser digerida. Acertar a sua velocidade da entrada e visualizar a curva permitem que você determine o que você está enfrentando. O raio da curva diminuiu? A curva não é compensada? Tem sujeira , areia, barro na curva?

Os pilotos falam constantemente sobre frear tarde, contudo, essa técnica é usada somente para ultrapassar uma posição durante uma corrida, e não para fazer uma volta mais rápida. Frear com ignorância acaba com a habilidade de julgar exatamente a velocidade ideal da curva, e a maioria dos pilotos que confiam demais nos freios comumente se vêem ultrapassados nas saídas da curva porque acabam abrindo-a demais. Adicionalmente, freando tarde força você a utilizar mais freio do que o necessário e o pior, deitar a moto e frear ao mesmo tempo. Utilizar os freios para achar a posição certa na curva é uma excelente técnica para um piloto profissional mas entenda que seu pneu dianteiro possui uma capacidade limitada de tração.


Se você usar a maior parte da tração do pneu dianteiro freando e derepente solicitar também tração

Um pneu tem uma
quantidade de tração que
pode ser usada para
curvar, acelerar, freiar ou
uma combinação destes
3. Um pneu que está
curvando forte não terá
muita tração
disponível para acelerar
ou freiar. Imagine
uma conexão do seu pneu
traseiro com a sua mão
do acelerador. Enquanto o
pneu está completamente
em contato, seu
acelerador pode ser
puxado; a tração usada
pelo pneu para curvar
agora pode ser convertida
em tração de aceleração.
 

máxima para a curva, é fato provocar uma caída prá dentro. Considere também que sua moto não curva com as bengalas completamente comprimidas em uma frenagem. Se você constantemente briga com a moto para curvar, pode ser porque você está freando demais nas curvas. Todos estes problemas podem ser eliminados acertando sua velocidade da entrada na curva mais cedo, um componente importante para continuar sua diversão.

Seu prazer de desfrutar uma curva bem feita cresce na proporção que você deixa de brigar com os freios. Você irá saborear a sensação de colar a moto numa curva e depois colar o acelerador o mais cedo possível. Os pilotos falam em observar a movimentação da moto e isso é importante nas ruas também. Veja como a moto cola no chão e trabalha melhor quando o acelerador puxado? Use sua mão direita suavemente, um pequeno toque no acelerador na tentativa de tracionar sua moto dirige o mais cedo possível
nas curvas, mesmo antes do ponto de tangência máxima da curva. Se você se encontrar acelerando muito cedo é uma indicação que você pode aumentar um pouco sua velocidade da entrada soltando os freios mais tarde.


Assim que você passa do ponto de tangência máximo, você pode começar a subir a moto e prá fora da curva. Isso é conseguido acelerando suavemente, que ajudará a moto a ficar na vertical. Enquanto o pneu traseiro sai , ele põe mais borracha no asfalto, e as forças usadas previamente para entrar na curva são convertidas para tração na aceleração. O acelerador pode ser puxado na mesma proporção em que a moto vai tomando a posição vertical.

Esta revista não lhe dirá o quão rápido é mais seguro; nós lhe diremos como ser rápido com segurança. O quão rápido você deseja ir é uma decisão sua, mas é uma decisão que requer reflexão e o comprometimento. Alta velocidade em uma estrada de quatro pistas é contra a lei, mas é razoavelmente segura. 90 km/h em uma serra pode ser legal, mas pode também ser perigoso. Fique com seus amigos e conversem sobre velocidade. Decidam uma velocidade máxima razoável mantenham-na. Feito isso, o ritmo é estabelecido sem altos riscos.


O grupo com quem eu ando importar-se com a velocidade nas curvas; pois qualquer novato pode colar o acelerador. Se você anda frequentemente a 160 km/h, esperamos que você pratique também frequentes freadas de emergência. Tenha em mente que essas velocidades pedem multas que são difíceis de tentar recurso e são dolorosas para
pagar; andar na velocidade correta não chama tanta atenção das autoridades e acha sua melhor velocidade para trajeto seguinte.


MENTALIDADE DO GRUPO

Pilotar rapidamente em qualquer lugar fere nossa imagem, sua licença e
eventualmente sua moto e seu corpo. Determine limites realísticos de velocidade nas estradas e na cidade, prenda-se a eles e
guarde a velocidade para as pistas de corridas ou arrancadas.

É hora de dar nome aos bois. O líder precisa achar um ritmo em que os seguidores não se amontoem, especialmente ao deixar um semáforo ou ao ultrapassar um carro em estrada de mão dupla. O líder deve usar fortemente o acelerador para aproximar do carro e dar espaço para o restante do grupo fazer a ultrapassagem, contudo não pode
acelerar sem noção na frente e ganhar uma multa para o grupo inteiro. Com velocidades sãs nas retas, os intervalos entre as motos podem ser facilmente ajustados; as motos devem ser espaçadas aproximadamente dois segundos de distância para visibilidade máxima dos perigos da estrada.

É o ritmo do grupo que eu aprecio mais, prestando atenção nas motos à frente de mim deitando em como numa fileira dos dominós, ou olhando no meu retrovisor meus amigos deslizando pelo mesmo caminho que emergi das curvas.

Pelo motivo de haver um líder e um jogo de regras a seguir, o aspecto da competição é eliminado e isso tira uma quantidade enorme de pressão do ego de um motociclista novato - ou mesmo do ego de um motociclista antigo. Nós temos todos sentimentos de competição exaltados quando andamos com amigos ou desconhecidos, mas o ritmo desfaz esse sentimento e o guarda para onde ele realmente deve existis : as pistas de corrida. Na pista é onde você prova sua velocidade e faz melhores para seus amigos e
rivais.

Gastei uma quantidade considerável de tempo escrevendo sobre "ritmo" (ver o exemplar Motorcyclist, Novembro. '91) por diversas razões, não apenas por divertimento mas também tive de pesquisar (continuamente e progressivamente). Mas eu tenho a motivação que não foi assim tão divertida. Fiquei assustado há alguns anos quando o Senator Danforth decidiu nos salvar tentando banir as superbikes, em seguida pelas companhias de seguro criando uma lista negra de várias motos esportivas. Eu vi a estrada de Mulholland fechar porque os motociclistas insistiam em competir (e se matar) em um pequeno trecho dela. Eu vi várias patrulhas da polícia nas estradas que os motociclistas insistiam em cair. Eu ouvi o termo “morteciclistas” dúzias de vezes. Quando nós consideramos o potencial de uma moto esporte moderna percebemos claramente que falta muita técnica para o piloto atual.

O treino enfatiza técnicas inteligentes, racionais que ignoram os atos heróicos das pistas sem sacrificar o divertimento. As habilidades necessárias para se sobressair nas pistas de corrida compõem os preceitos básicos do treino, excluindo as velocidades vertiginosas e deixando uma margem substancial para o erro , previnindo-nos dos objetos imóveis e desconhecidos. Nosso esporte enfrenta legislação indesejada de quem não participa, mas um pouco de dosagem no acelerador garantirá nosso futuro.


Os princípios do treino:
                           
1 Achar a velocidade certa de curva.
Erre a entrada e você nunca terá outra chance.

2 Olhar longe na estrada.
Manter um horizonte visual distante aumentará a velocidade de percepção e ajuda evitar situações de pânico.

3 Maneje a moto rapidamente.
Há uma razão para John Kocinski malhar. Tocar uma moto de corrida requer músculo.

4 Use seus freios maciamente mas firmemente.
Aperte e solte os freios; não alicate-os.

5 Acelere cedo.
Começar a acelerar cedo estabiliza o chassi, especialmente em curvas irregulares.

6 Nunca usar a faixa central das pistas exceto para ultrapassar.
Usar o corredor numa curva é reconhecimento certo que você não pode tocar sua moto. Em termos de
corrida, sua pista é o seu curso; permanecer dentro da sua pista adiciona um desafio significativo na maioria
de estradas e é imperativo para o futuro do esporte motociclístico.

7 Não aglomerar no corredor.
Espere sempre que um carro velha para dentro da sua pista.

8 Não se pendure nas curvas nem deite na bolha nas retas.
Sentar-se tranquilamente na moto é mais seguro e reduz situações indesejadas. Dá também uma margem de
segurança maior.

9 Quando liderar , conduza para o grupo.
Uma boa comunicação verbal influenciada com os sinais de mão e das placas; mude a velocidade e a direção
suavemente.

10 Quando seguir, ande junto do grupo.
Se você não puder seguir um líder, não espere alguém segui-lo quando você estiver ditando o ritmo.
Este artigo foi publicado originalmente na edição de Junho 1993 da revista Sport Rider.