MINHA  VIDA  E  DE  MEUS  AMIGOS  SOBRE  DUAS  RODAS

Contatos: Cassola - (51) 99983-1064     accassola@terra.com.br

Banner
Banner
Banner
Banner

Calendário de Eventos

No Mês passado Novembro 2017 No Mês próximo
D 2a 3a 4a 5a 6a S
week 44 1 2 3 4
week 45 5 6 7 8 9 10 11
week 46 12 13 14 15 16 17 18
week 47 19 20 21 22 23 24 25
week 48 26 27 28 29 30
Santa Maria
Qui, 04 de Outubro de 2007 15:58
Imprimir E-mail
Roteiros


A Lenda

Conta à lenda que uma tribo de índios minuanos, estabeleceu-se onde hoje é Santa Maria, local que era chamado ibitory-retan - Terra da Alegria. Certo dia, aproximou-se da aldeia guerreiros brancos que foram vencidos pelos indígenas. Um dos prisioneiros foi alvo do amor de Imembuí - Filha das Águas. A índia, filha do cacique, apaixonou-se pelo branco Rodrigues, que passou a ser chamado de Morotin. A pedido de Imembuí o guerreiro foi poupado e casou-se com a mesma.

A História

Site: http://www.santamaria.rs.gov.br/


A Lenda

Conta à lenda que uma tribo de índios minuanos, estabeleceu-se onde hoje é Santa Maria, local que era chamado ibitory-retan - Terra da Alegria. Certo dia, aproximou-se da aldeia guerreiros brancos que foram vencidos pelos indígenas. Um dos prisioneiros foi alvo do amor de Imembuí - Filha das Águas. A índia, filha do cacique, apaixonou-se pelo branco Rodrigues, que passou a ser chamado de Morotin. A pedido de Imembuí o guerreiro foi poupado e casou-se com a mesma.

A História

Segundo Belém, em 1º de outubro de 1777 foi concluído entre as Coroas de Portugal e de Espanha um convênio que tomou o nome de Tratado Preliminar de Restituições Recíprocas, cuja finalidade era a demarcação dos limites entre os domínios de Espanha e o Sul do Brasil, restituindo, amigavelmente, uma nação a outra, colocando fim em tudo aquilo que a força das armas, indevidamente, houvesse sido arrebatado em guerras passadas.

Conforme consta do Diário da Demarcação de Limites da América Meridional da autoria do astrônomo da expedição Dr. José Saldanha, foi no ano de 1787, nos meses de março e abril, que passou por terras de Santa Maria a comissão fixa (Espanhola e Portuguesa) encarregada de marcar a linha divisória entre os domínios de Espanha e Portugal no Sul da América.

Conforme determinação do Governador Sebastião Xavier da Câmara, a partida da 2ª subdivisão ao mando do Coronel Francisco João Roscio, a qual se achava em Santo Ângelo, retrocedeu até o arroio dos Ferreiros, fazendo ali ponto central para escolher, dentro de um raio de duas a três léguas, sitio apropriado para seu acampamento.

E o local escolhido então foi a colina onde, hoje, assenta a cidade de Santa Maria.

Em novembro de 1797 chegou a expedição ao ponto referido, surgindo como por encanto, do seio da floresta virgem, a povoação de Santa Maria, sem Boca do Monte, apêndice que só mais tarde lhe foi adicionado. A 2ª subdivisão permaneceu por muito tempo a fim de concluir os trabalhos de gabinete relativos à demarcação procedida, imediatamente ordens foram dadas para a derrubada da floresta no cimo do outeiro, levando-se em seguida o quartel para a tropa, o escritório para a comissão técnica, os ranchos para os oficiais, e a indispensável Capela em obediência a vontade soberana decorrente do espirito religioso da época.

É preciso notar que a capela não era de Santa Maria, e sim do Acampamento que ali estava, tanto que no dia em que se retirou a expedição, a capela fora desarmada e com aquela seguiu o seu destino, bem como o capelão Euzébio de Magalhões.

O local escolhido para o acampamento da comissão Demarcadora não era, entretanto, terreno devoluto. A colina em que assentou ela sua tenda de trabalho bem como grande extensão de terras adjacentes pertencia à sesmaria do tenente Jerônimo de Almeida que a cedeu ao padre Ambrósio José de Freitas.

A Expedição Permaneceu em Santa Maria até fim de setembro de 1801 elaborando mapas e mais documentos que deveriam ser apresentados ao governo português por intermédio do Vice - rei do Brasil.

Outro elemento preponderante, no mesmo sentido, foi o capelão Euzébio de Magalhães Rangel e Silva essas duas personalidades não podem ser esquecidas nesta obra, pois estes que influíram, poderosamente, na formação da sociedade que, no local, se desenvolveu e enraizou, em quatro anos pouco menos, que ali esteve acampada a Partida Demarcadora de Limites.

No Começo De Outubro de 1801 a caravana com destino a Porto Alegre, desse dia em diante Santa Maria deixou de ser um acampamento da 2ª subdivisão Demarcadora de Limites para ser um povoado propriamente dito.

Nos quatro anos que permaneceu no local a referida Partida de Demarcação, a área do povoado desenhou-se, em linhas gerais, rasgando-se naturalmente estradas que, mais tarde foram ruas.

As primeiras artérias delineadas em razão ao transito mais forçado pelo labor diário dos habitantes, tomaram os nomes: de Rua Pacifica, a que descia a colina em direção ao Passo da Areia, e que hoje é a Dr. Bozano, tendo antes sido, por muitos anos do Comércio; e de Rua São Paulo, aquela em que estavam localizados os quartel, o escritório da comissão técnica e alguns ranchos confortáveis de moradia de famílias de oficiais . E essa logo após a retirada da partida de Demarcação, foi dado o nome de Rua Do Acampamento.

De 1801 a 1803 recebeu Santa Maria um contigente de Índios, cerca de cinqüenta famílias de Guaranis, descendo das Missões orientais, vieram ali levantar seus ranchos em um descampado que é hoje Av. Presidente Vargas que também já se denominou Rua Ipiranga , na época o lugar que ocuparam era chamado de Aldeia.

Santa Maria da Boca do Monte era parte integrante de Cachoeira, sua população estava computada junto totalizando 8.225 almas, neste número Santa Maria contribuía com cerca de 800 almas.

Santa Maria em 1835, marcava em vertiginoso progresso. Seu comércio e industria pastoril desenvolviam-se, prodigiosamente, já nesta época a população era calculada em 2290 almas.

Por lei provincial n.º 6 de 17 de novembro de 1837 foi criada a freguesia de Santa Maria da Boca do Monte, passando por isso o curato a Paróquia, o que quer dizer que deixava de ser capela Curata filial da Matriz de Cachoeira para ser também Matriz.

Por lei provincial de n.º 400 de 16 de dezembro de 1857, a freguesia de Santa Maria da Boca do Monte foi elevada a categoria de vila, sendo em 17 de maio de 1858 instalado o novo município .


Bibliografia:
Texto baseado no livro de:
BELÈM, João. História do Município de Santa Maria, 1797 - 1933. Santa Maria: Edições UFSM, 1989

 


Inicial . Fala Cidadão . Eventos . Notícias
Direitos reservados 2007 © Prefeitura Municipal de Santa Maria 
 

Endereço
Centro Administrativo - PMSM
Rua Venâncio Aires, 2277
CEP: 97010-005

Site:  http://www.santamaria.rs.gov.br/